24 de Outubro de 2011 – Mafra

Chego com a ideia, talvez colhida no «Memorial do Convento», de que Mafra foi ali plantada, como o palácio, num local onde ninguém imaginaria, e que só muita força humana, sobre-humana e sub-humana, tornaram possível. Leio, algures, que não, mas isso também não importa. Como imaginava, é o palácio, esse mesmo, o do «Memorial», que domina sobre toda a urbe. É já tarde, as ruas quase desertas, e a vontade de permanecer fora de portas é quase nula. Registo a pouca iluminação na zona fronteira ao monumento, e as obras de beneficiação aparentemente interrompidas, mas nada retira o brilho àquele edifício. Sei de antemão que vou ter de o conhecer apenas por fora, mas não faz mal. Será o pretexto ideal para regressar.

1 thought on “24 de Outubro de 2011 – Mafra

  1. E que pretexto..

    Já percorri aqueles corredores, salas e salões e quartos e é realmente fantástico..
    Devo realçar o cuidado com que tudo está preservado, e documentado.
    Fiquei encatada com a enfermaria e a biblioteca..=) de cortar a respiração..

    Ao percorrer aqueles corredores não pude deixar de pensar como podemos ter escolhido o Castelo de Guimarães ou a Torre de Bélém (sem desprestígeo para a beleza destes monumentos e o seu valor histórico) como vencedores das sete maravilhas de Portugal (monumentos) e ter deixado de parte tão magnífica obra.

    Sem dúvida vale a pena o regresso..

    Sandra

Responder a sandra Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *