12 de Janeiro de 2011 – Nas entrelinhas, a China a tomar conta da Europa e do mundo

Cavaco Silva fez, hoje, a pergunta essencial. À parte dos brados de sucesso no leilão de dívida pública, e dos suspiros de alívio que nos permitem empurrar com a barriga para a frente» o problema da vinda do FMI, seria importante sabermos quem nos comprou a dívida. E, do outro lado, silêncio. Isto talvez porque, e falamos de factos, neste momento a China já detém 10% das obrigações do tesouro da zona euro. Aliás, não poderia ser de outra forma. A União Europeia é o principal parceiro comercial da China, rendendo-lhe, em negócios, cerca de 12.000 milhões de euros de proveitos. Portanto, a China não terá grande interesse na desvalorização do Euro face à sua moeda. Há, portanto, que sustentar o Euro, com base na compra de dívida. Facto também é que a China já detém 21% da dívida dos Estados Unidos, país que lhe rende 14.000 milhões de dólares em exportações. Por isso as etiquetas de boa parte dos artigos que encontramos nas grandes lojas de grandes marcas são «made in China». Por isso temos as lojas chinesas a ganhar cada vez maior dimensão. E nós, vamos vivendo assim. A olhar sempre para o lado, a olhar sempre para qualquer coisa que interesse menos.

1 thought on “12 de Janeiro de 2011 – Nas entrelinhas, a China a tomar conta da Europa e do mundo

  1. Eh pá
    O je, que não percebe puto de Finanças, sabe
    A Europa t´á presa pela gravata…
    Os States t`ao presos pelo cinto ( e sinto muito)
    A RPC compra, desde metais ferruginosos até
    créditos tóxicos…tudo o que há pra comprar…
    Qual é o espanto?
    Se bem me lembro…(nada a ver c Nemésio)…
    em francês, háquarenta anos, foi editado um livro
    cujo título seria, numa tradução macarrónica pró nosso tuga
    “Quando a China acordar, o mundo vai tremer de frio”
    É favor procurar referencias sérias porque não estou a bluffar.

Responder a joaquimtoscano Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *