4 de Janeiro de 2011 – Músicas (só) com quatro acordes

Hoje recebi este vídeo fabuloso, em que se explica, de uma forma simples, uma questão de física, música e mercado. Em termos físicos e musicais, há uma lógica que preside à utilização, maioritariamente, destes quatro acordes. Normalmente, os que se formam a partir do primeiro, quarto, quinto e sexto (este menor) graus da escala. Tomando por exemplo a escala de dó maior, o mais normal será termos os acordes de dó maior, fá maior, sol maior e lá menor. E temos a base essencial para a harmonia de qualquer melodia minimamente consistente. A outra questão, tem a ver com o mercado. Sabemos, por experiência própria, que, se ligarmos qualquer rádio que tenha «playlist», acabamos por ouvir as mesmas músicas, às mesmas horas. Isto é mercado, como é mercado a estética com base na qual se compõem a maioria dos «hits». O vídeo explica tudo isto, de forma simples e eficaz. Como a música que «consumimos» consegue ser, ao mesmo tempo, tão rica e tão pobre.

1 thought on “4 de Janeiro de 2011 – Músicas (só) com quatro acordes

Responder a Miguel Brandão Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *