16 de Novembro de 2009 – As boas-vindas ao Prof. Zeferino

prof_zeferinoNo dia em que se retirou da vida política activa, escrevi assim: «Perante uma sala completamente cheia, o Prof. Zeferino Brandão conduziu aquele que foi, segundo o próprio, o seu último acto público enquanto ‘político activo’. O seu exemplo ficará, por certo, como referência para todos aqueles que, de uma forma ou outra, intervêm na vida pública. Esperemos que a sua promessa de não ‘andar por aí’ mas ‘estar aqui’ se mantenha. Porque Arouca precisa da sua presença, da sua palavra, do seu contributo. Na variante ou na regionalização, como referiu, mas também em tudo o resto. Como observador atento da realidade. Como conhecedor de Arouca e dos seus problemas como poucos. Como trabalhador incansável por um futuro melhor». Hoje, esse «estar aqui» concretiza-se no primeiro passo do seu blogue. Bem-vindo «aqui», estimado Professor.

2 thoughts on “16 de Novembro de 2009 – As boas-vindas ao Prof. Zeferino

  1. Pois
    As coisas são mesmo assim, e conforme eu respondia á boa e á menos boa (acerca dos portais portas e janelas virtuais onde a malta desabafa mas chega a lado nenhum, até aos políticos dinossauros reformados compulsivamente sem terem atingido o limite de idade e de idoneidade e desperdiçar…porquê???…em 11 deste mês
    Com a devida vénia:
    “A tese é de que, não podendo estes políticos (muitos deles de carreira) continuar no poder autárquico, poderiam, eventualmente, «prosseguir carreira» nas estruturas regionais.”
    Nada contra políticos de carreira, dedicados e honestos…
    E porque desperdiçar “savoir-faire”, “know-how”

    Bem-vindo seja quem vier por bem, como cantava o Zeca!
    Mas o gozo será ainda maior porque sei que o prof Zeferino é um conhecedor e um apaixonado, como poucos, de Arouca, dos seus problemas, da sua dispersão, da sua beleza.

    Com que então encerrou a sua participação na vida política activa???? !!!!
    Ao fim de 35 anos???

    – Puro engano; Entrou numa nova fase mais sossegada, reflectida e de “sagesse” – não tenho diccionário que me traduza o termo com rigor – c`est la sagesse des anciens, ou aquele saber de experiência feito…enfim… é a vida,… como diria o português mais influente do planeta e cá do burgo ( ao que tresleio por aì).
    Um abraço ao Prof.

  2. Caro Ivo,
    Obrigado pelas suas palavras amigas e também de incentivo para que no meu blogue transmita o que penso dos problemas do quotidiano e que afectam a nossa qualidade de vida.
    Um abraço
    Zeferino

Responder a joaquim toscano Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *