26 de Março de 2009 – O «meu» órgão de tubos

orgao-aroucaHoje resolvi lembrar-me do instrumento musical mais fantástico que alguma vez tive oportunidade de experimentar: o órgão de tubos do Mosteiro de Arouca. Há cerca de 14 anos que me deixei adoptar por ele, e passei, por «brincadeira», a considerá-lo «meu». De facto, nunca me senti totalmente capaz de o «dominar», mas que é um instrumento absolutamente fantástico, é. Recentemente, terminaram as obras de restauro, que o deixaram com características praticamente idênticas ao tempo em que foi construído. Agora, mãos à obra. É preciso estudar, praticar, analisar obras e fazer soar estes mais de 1300 tubos. Se tempo houvesse, quase arriscaria dizer que gostava de viver aqui.

3 thoughts on “26 de Março de 2009 – O «meu» órgão de tubos

  1. Olá!
    O órgão de tubos do Mosteiro é realmente maravilhoso e acredita que já me emocionei muitas vezes ao ouvir-te tocar nele, mesmo quando ele não estava nos seus melhores dias. Agora que ele está novamente activo e mais afinado que nunca vou, com certeza, ter o prazer de te ouvir tocar nele novamente. Acho que quando acontecer será fantástico de ouvir.
    Em relação a «dominar», não vejo as coisas assim. Sabes que és uma pessoa com grandes capacidades a vários níveis, principalmente a nível artístico e quando te entregares ao órgão de tubos da mesma forma que ele se entrega a ti, deixando-se tocar pelos teus dedos, tenho a certeza que o Convento vai “tremer”. Não é uma quetão de domínio, mas de entrega. Se o órgão fosse uma mulher, eu arriscava a dizer que seriam o casal perfeito. Sabes que te admiro muito como pessoa, amigo e músico.
    Continua a tocar, a estudar e se resolveres ir para lá morar e precisares de companhia, chama por mim. Eu também tenho grande paixão pelo órgão de tubos e ía pedir-te que o partilhasses comigo, mas acho que não o iria fazer feliz como tu fazes. 🙂
    Fico à espera de te ouvir a tocar no «teu» órgão de tubos muito em breve. Já tenho saudades!
    Fica bem…

Responder a Nuno Mimoso Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *