9 de Dezembro de 2010 – Somos cada vez mais corruptos

Segundo um estudo hoje conhecido, para 83% dos portugueses a corrupção tem sido crescente desde 2007.  Para os portugueses, os militares, os professores e os religiosos são as menos corruptos. Sem grande espanto, a classe política foi considerada a mais corrupta. De facto, 75% da população nacional entende que os governantes não são eficientes no combate à corrupção, e 3% dos inquiridos admitiram já ter praticado suborno. A passividade e o reconhecimento de impunidade, patente no «e o que podemos nós fazer», continua a permitir que quem alcança uma posição de um mínimo de responsabilidade, possa pôr e dispôr das facilidades do poder. Por isso não temos os políticos que gostávamos de ter. Por isso não temos os serviços que gostávamos de ter. Por isso não temos o desempenho e o desenvolvimento que gostávamos de ter. Ou seja, é por isto que somos o país que somos.

3 thoughts on “9 de Dezembro de 2010 – Somos cada vez mais corruptos

  1. De facto é triste.
    A corrupção é um flagelo que por se ter tornado quase banal, é pouco admitida. daí, talvez, os 3%.
    Mas nesta mesma data surge um outro estudo que traz para a o ar a dimensão da economia paralela. Não é a economia paralela, uma outra forma (perfeitamente assumida) de corrupção? De quem a alimenta. Todos. Dos dois lados.
    A desculpa para esta ser por causa da carga fiscal, demonstra apenas falta de civismo e ignorância por parte de quem a pratica.
    A corrupção em si, a clássica, representa uma boa parte do chico-espertismo, que o Português bem conhece e muitos fomentam.

    Falta muito crescimento a Portugal e não apenas na economia.
    As “novas oportunidades” são exemplo do muito chico-espertismo português, em que muitos desses “formandos” se corrompem mentalmente a si mesmos, tentando enganar o sistema, enganando-se sobretudo a si próprios.
    Parecendo que não, está tudo interligado.

  2. Olá,

    acho engraçado mais uma vez o tema. e desta, da maneira como foi colocado e por quem. e tb pelos fundamentos!!

    às vezes tantos estudos profundos e sérios que se fazem, e agora pelo facto de um trabalho de mestrado que se faz(que até poderá ser meritório), logo temos várias páginas primeiras!!

    cá por mim, não acredito!
    sei que há a dita,
    mas se olharmos com objectividade para um conjunto de outros elementos, fiscais, judiciais, mesmo até de práticas de alguns cuidados por parte de certos organismos, sou levado a crer que neste particular não temos andado para trás.

    no entanto aqueles casos que conhecemos e que nos fazem mossa, já são mais do que suficientes para me inquietar!

    um abraço
    inquieto

Responder a Pedro Sousa Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *