15 de Agosto de 2009 – O Cântico dos Cânticos

IMG_5992Há quem considere a Bíblia o mais belo poema sobre a vida. Todavia, há alturas em que nós mesmos podemos escrever algumas linhas, e, nessa altura, mais do que as palavras, o que se sente, o que surge, assemelha-se em muito ao que o poeta desconhecido deu a conhecer no Cântico dos Cânticos, provavelmente o poema mais apaixonado, erótico até, da Bíblia. Há alturas em que se reescreve todo o sentido das coisas. São boas surpresas, que a nossa memória prolonga infinitamente.

«Esta é a voz do meu amado! Ei-lo que aí vem, saltando sobre os montes e sobre os outeiros. O meu amado é como uma gazela. Ei-lo atrás dos nossos muros, olhando pelas janelas, espreitando através das gelosias. O meu amado disse-me: «Levanta-te, minha amada, formosa minha, e vem. Eis que o inverno passou, cessaram e desapareceram as chuvas. Apareceram as flores na nossa terra, chegou o tempo das canções e na nossa terra já se ouve a voz da rola. (…)

Levanta-te, minha amada, formosa minha, e vem. Vem, minha pomba oculta nas fendas das rochas, mostra-me o teu rosto, faz-me ouvir a tua voz, porque a tua voz é suave e o teu rosto encantador.(…)

O meu amado é para mim e eu sou para ele. Ele disse-me: «Grava-me como um selo no teu coração, como um selo no teu braço, porque o amor é forte como a morte e a paixão é violenta como o abismo».

(Cântico dos Cânticos; tradução não identificada)

2 thoughts on “15 de Agosto de 2009 – O Cântico dos Cânticos

  1. A vida é assim mesmo amar, e ser amado, e partilhando com o outro aquilo que de mais belo existe dentro de nós.Chama-SE; AMOR que sejas muito feliz…..

Responder a preciosa Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *