22 de Março de 2009 – Um outro «Requiem»

scoreA tarde de hoje foi dedicada a ultimar o estudo da partitura do «Requiem Alemão», de Johannes Brahms. Normalmente, um «Requiem» é uma espécie de ode à morte, seguindo a sequência religiosa. Há, contudo, exemplos o mais diversificados possível, como o de Mozart, pleno de tensões e de confronto (derrota?) com a morte, há a abordagem de Maurice Duruflé, muito mais «luminosa», intimamente inspirada no Canto Gregoriano, abrindo paisagens sonoras inigualáveis, e há o «Requiem Alemão», de Brahms, que, mais do que uma ode à morte, é uma ode à vida. O estudo foi feito com recurso a uma ferramenta absolutamente imperdível para quem faz a grande música coral e/ou coral-sinfónica: o Cyber Bass. Neste espaço, há partituras, «midis» com as várias partes, exercícios vocais, etc., etc., etc.

Mas, mais do que a técnica, ficou a poesia desta música.

«Sede, pois, pacientes, irmãos. Vede como o lavrador aguarda o precioso fruto da terra e tem paciência até receber a chuva. Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória como a flor da erva».

«Ah, como são nada todos os homens que vivem seguros de si. Passam como sombras, e em vão se preocupam. Amontoam riquezas, sem saberem quem as recolherá».

«Agora, na verdade, sentis tristeza, mas hei-de ver-vos de novo. O vosso coração se alegrará e a vossa alegria não vos será tirada. Pois não temos aqui cidade permanente, antes procuramos a futura».

«A morte foi absorvida pela vitória».

1 thought on “22 de Março de 2009 – Um outro «Requiem»

  1. é realmente bela esta maneira de encarar a dura realidade da morte. Penso que este é o sentido que devemos dar à nossa existência.
    Tenho pena de não ter podido partilhar este momento de estudo contigo. Como calculei que escrevesses sobre o assunto, aqui estou a ler.
    Gostei muito! Continua a escrever que eu prometo não faltar à leitura.
    fica bem

Responder a Anónimo Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *